domingo, 26 de maio de 2013

Correr ou Morrer

Finalmente consegui algum tempo para trazer aqui mais um livro. Peço imensa desculpa mas tem sido difícil arranjar esse tempinho.

E o escolhido da semana é Correr ou Morrer de Kilian Jornet. Como já tinha dito anteriormente esta foi uma re-leitura para recordar e saborear.
É um livro bastante conhecido e recente. No mundo da corrida são poucos os que nunca ouviram falar.



Kilian jornet, um jovem catalão que nos dá a conhecer um mundo de sobe e desce (a correr) que considero realmente impressionante..

Acho até, não tenho a certeza, que este foi o primeiro livro sobre corrida que comprei. Se não foi o primeiro, foi dos primeiros. Depois de ler um já não se quer outra coisa, e veêm outros e mais outros... Mas este que foi dos primeiros li do princípio ao fim num ápice, quase sem parar, digamos que foi a correr :)
Agora que já li duas vezes e que dei mais atenção aos pormenores faço uma pergunta a mim mesmo. Porque é que gostei tanto de o ler?
É que eu nunca corri em montanha, nem um único trail fiz, não tenho especial apreço por montanha muito menos pelo frio da montanha, da neve e da chuva. Sou do Algarve gosto de praia, sol e bom tempo, subidas?? bem... nem falar em subidas... ou melhor, fala-mos mas mais tarde, fica aqui a promessa. Longas distâncias?? só me fiquei pela meia maratona, até agora...
E neste livro, MONTANHA é palavra de ordem. Então o que há de interessante no livro?? Diria e digo, TUDO!

É motivante do princípio ao fim, faz despoletar uma vontade ainda mais forte de nos superar-mos a nos próprios, transpor mais e mais barreiras, alcançar novos desafios e procurar os nossos limites, se é que os temos em corrida.
Como acontece quando lemos um bom livro quando damos por nos estamos a fazer parte dele, e neste aconteceu-me várias vezes em que corria ao lado de Kilian Jornet, em que me sentia cansado e com sono,  em que juntamente com ele nos perdemos algures nos Alpes.

É um livro que recomendo vivamente a quem gosta de correr, de correr no limite e para alcançar um qualquer limite, ou simplesmente para quem gosta de correr, na montanha ou não, isso não interessa. O que interessa é que ao ler sejamos transportados para outra realidade, para a realidade do narrador e das personagens ou simplesmente para a realidade dos nossos sonhos e fantasias. E uso a palavra realidade porque acredito que existe uma realidade em tudo aquilo que fazemos, pensamos e imaginamos...

Bem... de novo ao livro...
Desta segunda fez que o li procurei explorar mais a fundo e à medida que ia lendo ia fazendo algumas pesquisas no google . À medida que ia folheando página a página ficavam-me na memória imagens da Tahoe Rim Trail, do Kilimanjaro ou mesmos do Western States.

Recomendo que dêem um vista de olhos por alguns desses locais...

No fundo é isso que nos dá este livro de Kilian, uma série de aventuras por locais fascinantes mas ao mesmo tempo, de extremos, em que é preciso uma grande força de vontade, muito querer e um gosto ainda maior pela corrida.


Algumas passagens para abrir o apetite...

" O segredo não está nas pernas, mas na força de vontade para sair de casa e ir correr quando chove, faz vento ou neva; quando os relâmpagos acendem as árvores passando ao lado delas; quando as bolas de neve e as pedras de gelo nos açoitam as pernas e o corpo nu que enfrenta a tempestade, e nos fazem chorar, e, para continuarmos, obrigamo-nos a enxugar as lágrimas para ver as pedras, os muros ou o céu."

" Vi pessoas que, apesar de chegarem depois de os primeiros já terem tomado duche, almoçado e de até já terem dormido a sesta, se sentem vencedoras, e não trocariam o que sentem por nada deste mundo. e invejo-as, porque, no fundo, não é por isso que corremos? Para saber que somos capazes de vencer os nossos medos, e que a fita que cortamos quando atravessamos a linha da meta não é sustida por assistentes mas sim pelo que os nossos sonhos determinam? A vitória não é sermos capazes de levar o nosso corpo e mente ao limite para descobrir que estes limites nos permitem descobrir novos limites? E levar mais longe, pouco a pouco, os nossos sonhos?"

E só para terminar...

" Passo a vida a pensar em correr: antes de correr, penso em como vou correr; quando corro, penso em como corro, e, depois, penso em como corri."

Se puderem, não deixem de ler, é cativante do princípio ao fim, lê-se ao sabor de uma corrida, ficamos com a sensação que podíamos passar mais algumas horas a ler e ler e ler...


Boas leituras,

Até já e boas corridas!

6 comentários:

  1. Ainda não li , mas espero ler em breve...
    Bons treinos

    ResponderEliminar
  2. Estou a ler o 50/50 do Dean Karnazes (antes deste li o RUN também do Karnazes), são também 2 livros que se lêem "a correr" e muito fixes. Esse fica já em lista de espera. Obrigado pela dica.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Obrigado pela crónica. Com a feira do livro aí é sempre bom ter ideias para leituras, até porque não podemos estar sempre a correr! Abraço.

    ResponderEliminar
  4. Sam: Acho que sim que deves ler é mesmo muito bom :)

    Tigas: Também temos cá em casa o 50/50 do Karnazes e a seu tempo traremos aqui a nossa opinião, agora o RUN ainda não consegui encontrar em lado nenhum pra comprar...

    Rui Soeiro: A feira do livro de Lisboa deve ser mesmo uma excelente oportunidade para comprar bons livros de corrida, estes livros têm pouca procura e acabam por aparecer pouco, e nas feiras eles acabam por querer escoar stock, por isso boas compras!

    Boas leituras, boas corridas e muito obrigado pelos comentários.

    ResponderEliminar
  5. Eu já li este e gostei bastante, mas porque entendo perfeitamente essa ligação à montanha!:)
    A minha citação favorita: "Os leggings molhados da neve que o vento arrasta e que também se nos agarra à cara e nos congela o suor. Corpo leve, pernas leves. Sentir a pressão nas pernas e o peso do corpo concentrar-se nos metatarso dos pés e fazer uma pressão capaz de partir rochas, destruir planetas e mover continentes. Com as duas pernas suspensas no ar, a flutuarem como o voo de uma águia e a correrem mais velozes do que um leopardo. Ou descendo, com as pernas a escorregarem sobre a neve e a lama, no instante que antecede o novo impulso para nos sentirmos livres para voar, para gritar de raiva, ódio e amor ao coração da montanha, lá longe, onde só os mais intrépidos roedores e aves escondidos nos seus ninhos sob as rochas podem transformar-se em nossos confessores. Só eles conhecem os meus segredos, os meus temores."
    Quer dizer, como é que podes ler isto e não te apetecer ir correr para os Pirinéus (ou, vá, Serra da Estrela...)? ;)

    Boas corridas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É contagiante, e pior, vicia!
      Boas corridas :)

      Eliminar